9º dia. Ilave a Cusco.

Saimos bem cedo pra tentar ver se conseguiamos passar o protesto antes que  os revoltos estivessem na pista. A estratégia deu certo. Chegamos antes das sete da manha no local e nao havia niguem ainda na pista. A cena era de guerra. Pensávamos que iamos encontrar uma pequena berreira. O que vimos e enfrentamos foram quinze quilometros com pedras esplhaadas na pista, montes de terras despejados no meio da estrada, muitos pedacos de pau e muitos outros obstáculos que nos obrigavam a uma tocada bem lenta, cuidadosa, tensa e mudando de pista o tempo todo, buscanmdo com frequencia o acostamento. Havia tambem muitos pneus queimados. Mas o importante foi o pessoal nao estar na pista senao seria problema certo.

Ainda cedo chegamos a Puno e pegamos um barco para conhecer as ilhas flutuantes dos Uros. Um passeio bem turistico, mas muito interessante. O lugar é especial. O barco nao leva mais do que 20 minutos para, navegando dentro do Titicaca, chegar ao local onde vive esse povo a muito tempo. Fomos levados a uma pequena ilha flutuante  onde nos foi explicado tudo sobre esse povo a suas técnicas de construcao de casas em totóia, uma vegetacao semelhante a taboa. Esse material é usado desde a forracao da ilha, para fabricacao das casas e até para alimentacao. Todos provamos o sabor da totóia. Nao tem gosto de nada, parece apenas uma fibra. A que eu provei, assim que o guia virou-se de costas, guspi na mao e a escondi, abrindo um largo sorriso de aprovacao depois, como se tivesse adorado.

O local onde viverm, assim como toda a composicao da regiao, é fantástica e diferente de tudo que conhecemos. Muito bacana e vale muito a pena conhecer e andar pelas ilhas, vendo o pessoal cozinhando o peixe pescado ali mesmo no lago Titicaca e conhecendo um pouco sobre esse povo que ja vive aqui da mesma forma a geracoes.

 Neste dia scolhemos fazer nosso almoco a base de comida liofilizada num local inusitado. Olhamos uma grande montanha descampada a beira da rodovia com várias ruínas de casas de barro e um bando de ilhamas. Andamos alguns metros e de repente estávamos ali naquele cenário inusitado, no meio das ruínas, ao pé da montanha e observado pelas ilhamas. Acendemos o fogareiro e preparamos dois pratos de comidas liofilizadas. Pra quem nao conhece a comida liofilizada é muito usada por alpinistas e praticantes de esportes que dispoe de pouco espaco pra levar bagagem e que ficam em locais remotos. É um alimento que passa por mum processo de desidratacao. Tratasse de uma refeicao balanceada que supre toda a necessidade energetica e de proteinas sendo que para prepara lo basta adicionar água. Fizemos dois pratos para nos e achamos muito saborosos. Estamos preparados para usa los muitas vezes nesta viagem.

A caminho de Cusco resolvemos fazer uma passagem por uma pequena vila. Havia uma festa com dancas típicas e na praca estavam alinhadas umas 15 geladeiras que seriam sorteadas a noite. Viramos a atracao da festa. Até algumas autoridades locais de terno vieram nos cumprimentar. É estranho pra nós. Aproveitei a passagem para andar num mototaxi. É um veículo muito comum aqui no Peru. É uma moto adaptada para triciclo e toda coberta de lona, onde nem o piloto nem o passageiro se molham em caso de chuva. Peguei uma “emprestada” e sai andando pela praca. É muito dificil de pilotar e bate muito. Pra entrar entao foi um suplício pros meus 1,92 metros.

 Voltamos a estrada para entrar num belíssimo vale que nos nos acompanharia até Cusco. Uma estrada que vai beirando a montanha sempre com uma corredeira ao lado e onde comecam a aparecer algumas árvores e um pouco de vegetacao. Ainda no caminho voltamos a ver os picos com neves que geraram um belo por do sol.

This entry was posted in Diário de Bordo. Bookmark the permalink.

13 Responses to 9º dia. Ilave a Cusco.

  1. Fabio says:

    Que lugares em brow … to aki me segurando pra naum cair numa dessas viagens tbm….mas deixe estar vai chegar a minha vez … e em breve hehehehe

  2. Juliana P. says:

    Cada lugar lindo hein, no começo batia um medo dessa viagem, agora fico cada vez mais anciosa pra ver cada dia novas imagens, estão de parabens, e Vantuir, teus relatos são incríveis! se cuidem :)

  3. AI BONOTTO Parabéns pela viagem!!!
    Urussanga esta em peso acompanhando vocês…
    Da vontade de pegar a BIKE e sair atrás de vocês. MUUUUUITO 1000 mesmo e boa sorte por ai….
    PS:ñ esquece de trazer uma lembrança pra mim kakaka

  4. GILSON LOSS SAO LUDGERO says:

    PARABENS VAVA, VOCE NOVAMENTE NOS DEIXA AQUI DE QUEIXO CAIDO E BABANDO DE VONTADE DE ESTAR AI, PARABENS, ALGUNS SONHAM OUTROS, SONHAM E REALIZAN OS MESMOS, VOCE E UM DESTES PRIVILEGIADOS, INFELISMENTE EU ESTOU NO PRIMEIRO GRUPO!!!

  5. Bravoooo amigos, estou acompanhando Vcs. Foi realmente uma pena que Vcs não continuaram de Coroico até Caranavi e Sapecho. Foi até ali que o amigo Alfonso me levou. O interesante desse trajeto é que ainda hoje, continua o tráfego de ónibus e caminhões
    Se cuidem….Grande abraço

  6. soneide says:

    Nossa dá uma saudade desses caminhos, mas ve-los tão bem fotografados novamente é como estar aí outra vez…Parabéns Cléber e Vantuir, estou feliz por vocês e com vocês.Felicidades.

  7. Liofoods says:

    Meu Deus, que fotos barbaras!! Que lugares maravilhosos, espero que não estejam pesados de bagagem, pois pelo visto estão levando um montão de gente na mala com vcs heim!! Parabéns e que continuem fazendo uma ótima viagem!! Ah! A foto da comida liofoods ficou lindona!!rs
    Abraços
    Liofoods

  8. Geraldinho says:

    Boa Tarde Cleber Bonotto e Vantuir.

    Diletos irmãos motociclistas!.

    Parabéns pela bela aventura.

    Vossos relatos e fotos são uma verdadeira aula de história e cultura. Para nós aficcionados por motocicletas e estradas, é uma “injeção” de ânimo para que cada vez mais, sintamos mais motivados para pegar estrada.

    em Janeiro de 2.010, se Deus quiser, estarei fazendo uma grande parte deste trajeto que vocês estão fazendo.

    Penso que irei beber desta fonte por um bom tempo ainda.

    Obrigado pelos relatos e fotos.

    Boa Sorte, que Deus vos acompanhe e até Breve!…

    Recebam meu fraternal abraço.
    Geraldinho.
    Patos de Minas – MG

  9. Urik says:

    Olá Bonotto e Vantuir,
    Não sei se lembram de mim. Estive no Shopping Itaguaçu na partida de vocês. Tenho acompanhado diariamente a viagem porém somente hoje estou escrevendo.
    As fotos, os relatos e tudo mais está perfeito, muito bom mesmo. Estou ansioso para ver o documentário criado após toda essa aventura.
    O sonho de voces é o sonho de todo motociclista.
    Parabéns pela magnifica viagem e muita proteção de Deus para admirar isso tudo que Ele criou.
    Grande abraço.

    Urik B. da Silva
    MG ShotGun Riders
    Floripa – SC

  10. Flavildo says:

    Cleber

    de onde é aquele macanico de conficnca, estou em Arica o tanque de plastico furou, me passa o CEL dele.

    abrax

  11. Cleber Bonotto says:

    Opa flavildo, segue o contato:
    Pietro 94953574
    em Arica.

    Espero que nao peguem mais gelo…
    creio que estaremos chegando em Arica amanha.

  12. alceu cavaleiro says:

    viage por nós estaremos ai em pensamento e espirito…boa viagem com certesa!!

  13. Celso Schweitzer says:

    Olá amigos Cleber e Vantuir. Tive o prazer de conhece-los no primeiro dia de viagem (10-10)e no primeiro pedágio ali próximo de PortoBelo, quando eu fazia parte daquele grupo de motociclistas (Os Cuecas) que estávamos indo para Paranavaí-PR e ainda nos cruzamos algumas vezes pelo Paranazão. Acompanhei a viagem de vcs pelo site e quero parabeniza-los pelo projeto e execução deste sonho que se concretizou em realidade. Parabéns e sucesso em novas empreitadas.
    Celso Schweitzer – Florianópolis-SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>